segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Cumprindo toda a lei

Quinta                                              



 

13 Vós, irmãos, fostes chamados à liberdade: porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne, mas num espírito de amor sede servos uns dos outros.
14  Pois toda a Lei se resume em um só preceito, a saber: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.
15  Mas se vós vos mordeis e devorais uns aos outros, vede que não vos consumais uns aos outros.  (Gl 5:13-15)

5. Como você concilia os comentários negativos de Paulo sobre “guardar toda a leiGl 5:3 com sua afirmação positiva de que “toda a lei se cumpre” (Gl 5:14)? Compare 

Moisés escreveu que o homem que pratica a justiça que vem da Lei, viverá por ela. Rm 10:5 

10  Pois todos quantos são das obras da lei, estão sob a maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no livro da Lei para fazê-las.
12  A Lei não é da fé, mas: Aquele que faz estas coisas, viverá por elas. Gl 3:10, 12; 
De novo testifico a todo o homem que se circuncida, que está obrigado a guardar a Lei toda. Gl 5:3 

para que a exigência justa da Lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. Rm 8:4 

A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei. Rm 13:8 

Pois toda a Lei se resume em um só preceito, a saber: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Gl 5:14

Muitos têm visto o contraste entre os comentários negativos de Paulo sobre “guardar (poiêsai, em grego) toda a lei” e suas afirmações positivas de que “toda a lei se cumpre (plêroutai em grego)” como paradoxal. Mas de fato não são. A solução está no fato de que Paulo, intencionalmente, usou cada frase para fazer uma importante distinção entre duas formas diferentes de definir o comportamento cristão em relação à lei. Por exemplo, é significativo que, quando Paulo se referiu positivamente à observância cristã da lei, ele nunca descreveu isso como “guardar a lei”. Ele reservou essa frase para se referir exclusivamente ao comportamento equivocado dos que viviam sob a lei e tentavam obter a aprovação de Deus “guardando” o que a lei ordena.

Isso não significa que os que encontravam a salvação em Cristo não obedeciam à lei. Nada poderia estar mais longe da verdade. Paulo disse que eles “cumpriam” a lei. Ele quis dizer que o verdadeiro comportamento cristão é muito mais do que a obediência exterior de apenas “guardar” a lei; é “cumprir” a lei. Paulo usou a palavra cumprir, porque ela vai muito além de simplesmente “fazer”. Esse tipo de obediência está enraizado em Jesus (
Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar, mas cumprir. Mt 5:17). Não é um abandono da lei, nem uma redução da lei para o amor apenas, mas é uma forma pela qual o cristão pode experimentar a verdadeira intenção e significado de toda a lei!

6. De acordo com Paulo, onde encontramos o pleno significado da lei? 

Não te vingarás, nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o SENHOR. Lv 19:18 

31  E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.  
33  e que amá-lo de todo o coração, e de todo o entendimento, e de toda a alma, e de todas as forças e amar o próximo como a si mesmo é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios.  Mc 12:31, 33; 

honra a teu pai e a tua mãe, e amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Mt 19:19

Pois isto: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e se algum outro mandamento há, nestas palavras se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Rm 13:9

Se vós, porém, cumpris a lei real segundo a Escritura: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo, fazeis bem; Tg 2:8

Embora fosse uma citação de Levítico, a declaração de Paulo em Gálatas está, em última análise, enraizada no uso que Jesus fez de Levítico 19:18. Jesus, porém, não foi o único mestre judeu a se referir a Levítico 19:18 como o resumo de toda a lei. O rabino Hillel, que viveu aproximadamente uma geração antes de Jesus, disse: “O que é detestável a você, não faça ao seu próximo; essa é toda a lei”. Mas a perspectiva de Jesus foi radicalmente diferente (Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas. Mt 7:12). Ela não apenas foi mais positiva, mas também demonstrou que a lei e o amor não são incompatíveis. Sem amor, a lei é vazia e fria; sem lei, o amor não tem sentido.

O que é mais fácil, e por quê: amar os outros, ou simplesmente obedecer aos Dez Mandamentos? Comente com a classe. 

Sexta                                                   Estudo adicional


A fé genuína sempre atua por amor. Quando você olha para o Calvário, não é para acalmar seu coração na não realização do dever, nem para se acomodar para dormir, mas para cultivar fé em Jesus, fé que atua purificando a pessoa da lama do egoísmo. Quando nos apegamos a Cristo pela fé, nosso trabalho apenas começou. Todo homem tem hábitos corruptos e pecaminosos que precisam ser superados por meio de combate vigoroso. É necessário que toda pessoa trave a batalha da fé. Se alguém é seguidor de Cristo, não pode ser difícil de lidar, não pode ser insensível nem destituído de simpatia. Não pode ser grosseiro em sua maneira de falar. Não pode ser cheio de arrogância nem ter excesso de autoestima. Não pode ser dominador, nem pode usar palavras ásperas, nem censurar e condenar.

“A obra do amor brota da obra da fé. A religião da Bíblia significa trabalho constante. ‘
Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos Céus’ (Mt 5:16, NVI). ‘Ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor, pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dEle (Fp 2:12, 13, NVI). Devemos ser um povo ‘zeloso de boas obras’; ‘sejam solícitos na prática de boas obras’ (Tt 2:14; 3:8). E a Testemunha fiel diz: ‘Conheço as tuas obras’ (Ap 2:2).

Embora seja verdade que nossas intensas atividades, por si mesmas, não garantem a salvação, também é verdade que a fé que nos une a Cristo motiva a pessoa à atividade” (MS 16, 1890; Comentários de Ellen G. White, SDA Bible Commentary, v. 6, p. 1.111).

Perguntas para reflexão
1. Examine as respostas dos alunos à última pergunta da lição de quinta-feira. Qual foi a opção que a maioria das pessoas achou mais fácil? Por quê? Seja sincero: o que significa cumprir a lei?
2. Paulo disse que a fé “atua” pelo amor (Gl 5:6). O que ele quis dizer?
3. Examine a ideia de tentar usar sua liberdade em Cristo para se entregar ao pecado. Por que isso é tão fácil de fazer? Quando, porém, as pessoas pensam dessa forma, em qual armadilha estão caindo?

Quem comete o pecado é do diabo, porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo. 1Jo 3:8

Resumo: 
Liberdade é uma das palavras favoritas de Paulo para definir o evangelho. Ela inclui tanto o que Cristo fez por nós, ao nos libertar da escravidão do mundo, quanto a maneira pela qual somos chamados a viver o cristianismo. Precisamos ter cuidado, porém, para que nossa liberdade não se torne vítima do legalismo nem da libertinagem. Cristo não nos libertou para que servíssemos a nós mesmos, mas para que entregássemos a vida no ministério aos nossos semelhantes.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário