quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Geazi errando o alvo (resumo do estudo nº 12)





26  Porém ele lhe disse: Porventura, não fui contigo em espírito quando aquele homem voltou do seu carro, a encontrar-te? Era isto ocasião para tomares prata e para tomares vestes, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas?
27  Portanto, a lepra de Naamã se pegará a ti e à tua descendência para sempre. Então, saiu de diante dele leproso, branco como a neve. 2Reis 5:26-27

Saber: Identificar as grandes oportunidades de Geazi para ser habilitado para o ministério e suas falhas em aproveitá-las.
Sentir: Perceber o desapontamento e a perda para a causa de Deus quando um líder em potencial, como Geazi, se torna interesseiro.
Fazer: Aceitar e aproveitar cada oportunidade de se preparar para o ministério e servir ao povo de Deus.


Esboço

I. Oportunidades preciosas
A. Imagine a oportunidade de servir como aprendiz do profeta Eliseu. Que experiências extraordinárias e lições de fé Geazi teve em seu serviço para Eliseu? Como deixou de se beneficiar dessas oportunidades?
B. Qual foi o preço que Geazi pagou por seu egoísmo? Por que essa sentença foi justa?

II. Oportunidades perdidas
A despeito dos exemplos de Eliseu de serviço abnegado, Geazi nunca aprendeu a desistir de seus próprios interesses a fim de servir os propósitos de Deus. Como a ganância de Geazi prejudicou as lições sobre Deus que Eliseu estava tentando imprimir em Naamã?

III. Disposição de servir
Temos hoje mais oportunidades e modelos para aprender a liderança serviçal do que em qualquer outro tempo na história da Terra. Como podemos aproveitar as oportunidades que nos foram dadas, especialmente considerando nosso aprendizado com Cristo, o maior dos mestres e exemplos para seguir?

Resumo: Geazi teve muitas oportunidades de testemunhar o serviço abnegado e ser habilitado para o ministério, porém escolheu servir a seus próprios interesses.

Motivação
Deus nos chama para ser servos guiados não pelas seduções terrenas, mas pelo compromisso espiritual com Deus e os outros.

O princípio do serviço para Deus envolve perder a vida para ganhá-la, ou aparentemente ganhá-la para perder. Além disso, as recompensas das aparentes perdas começam a ser sentidas agora, através de bênçãos que nem imaginamos.

A tradição rabínica sugere que os leprosos junto à porta de Samaria que descobriram a misteriosa fuga desordenada de Ben-hadade (veja 2Rs 7:3-8) fossem Geazi e seus filhos. Mesmo que incorreta, a tradição ilustra a decadência espiritual de Geazi.

3  Quatro homens leprosos estavam à entrada da porta, os quais disseram uns aos outros: Para que estaremos nós aqui sentados até morrermos?
4  Se dissermos: entremos na cidade, há fome na cidade, e morreremos lá; se ficarmos sentados aqui, também morreremos. Vamos, pois, agora, e demos conosco no arraial dos siros; se nos deixarem viver, viveremos; se nos matarem, tão-somente morreremos.
5  Levantaram-se ao anoitecer para se dirigirem ao arraial dos siros; e, tendo chegado à entrada do arraial, eis que não havia lá ninguém.
6  Porque o Senhor fizera ouvir no arraial dos siros ruído de carros e de cavalos e o ruído de um grande exército; de maneira que disseram uns aos outros: Eis que o rei de Israel alugou contra nós os reis dos heteus e os reis dos egípcios, para virem contra nós.
7  Pelo que se levantaram, e, fugindo ao anoitecer, deixaram as suas tendas, os seus cavalos, e os seus jumentos, e o arraial como estava; e fugiram para salvar a sua vida.
8  Chegando, pois, aqueles leprosos à entrada do arraial, entraram numa tenda, e comeram, e beberam, e tomaram dali prata, e ouro, e vestes, e se foram, e os esconderam; voltaram, e entraram em outra tenda, e dali também tomaram alguma coisa, e a esconderam. 2Rs 7:3-8

A lepra era entendida como julgamento de Deus, punição física e espiritual pelo fracasso moral. Embora a história de Geazi tenha começado favoravelmente, sendo ele descrito como fiel associado de Eliseu e, de certa forma, protetor super zeloso a avareza tomou conta dele, tornando-o um símbolo de cobiça para as gerações seguintes.

(Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, abraçou-lhe os pés. Então, se chegou Geazi para arrancá-la; mas o homem de Deus lhe disse: Deixa-a, porque a sua alma está em amargura, e o SENHOR mo encobriu e não mo manifestou.2Rs 4:27).

Uma simples falha de caráter destruiu o que parecia ser uma promessa de futuro ilimitado. O que poderia ter sido? Eliseu serviu fielmente a Elias, sucedendo-o finalmente com décadas de seu próprio ministério profético. Poderia Geazi, se tivesse sido fiel, ter se tornado o sucessor de Eliseu? Poderia o manto profético ter caído sobre seus ombros? A história registra não apenas especulações mas o que verdadeiramente aconteceu. Em lugar disso, Geazi é lembrado somente pelo engano, apego ao dinheiro e por receber a maldição da lepra de Naamã. Oportunidades para o serviço cristão ainda estão sendo comprometidas hoje. Se algo está acontecendo, é o fortalecimento do materialismo, não o enfraquecimento. Que oportunidades poderíamos perder pela atração das tentações terrestres? Que brilhos estamos abraçando enquanto sacrificamos os valores espirituais?

Atividade de abertura: 
Por razões de segurança, muitos países proíbem o uso de telefone celular por motoristas enquanto estão dirigindo. Que filosofia apoia essas restrições? Comente como as distrações na direção comprometem a segurança, colocando em perigo os pedestres e outros motoristas. Faça uma aplicação espiritual de sua discussão. Analise aspectos da cultura contemporânea. Quais deles interferem na sua visão espiritual? Quais servem como distrações de nossas tarefas divinas? Quais distorcem nosso foco espiritual no serviço? Como os cristãos podem impedir que as seduções terrestres desviem seu desenvolvimento espiritual e foco no serviço? Que consequências resultam do fracasso em servir?

Compreensão
Os impérios se desintegram ao longo do tempo, não instantaneamente. O caráter também se desgasta aos poucos. Nosso estudo atual traça o fracasso espiritual de Geazi, associado de Eliseu no ministério profético. Evite transformar Geazi em um demônio. Atacar suas imperfeições de caráter, deixando de apreciar suas características virtuosas, deixa a impressão de que os cristãos modernos não são vulneráveis a tentações similares. Reconheça que Geazi possuía muitas qualidades admiráveis, como os cristãos de hoje. Essas qualidades, contudo, foram dominadas e destruídas por pecados purulentos aos quais permitiu que crescessem sem controle. Lições do exemplo de Geazi devem nos preparar para enfrentar eficazmente as próprias imperfeições e tendências más que poderiam de outra maneira destruir nossa utilidade espiritual.


Comentário bíblico


I. Aprendizado de primeira mão

8  Certo dia, passou Eliseu por Suném, onde se achava uma mulher rica, a qual o constrangeu a comer pão. Daí, todas as vezes que passava por lá, entrava para comer.
9  Ela disse a seu marido: Vejo que este que passa sempre por nós é santo homem de Deus.
10  Façamos-lhe, pois, em cima, um pequeno quarto, obra de pedreiro, e ponhamos-lhe nele uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro; quando ele vier à nossa casa, retirar-se-á para ali.
11  Um dia, vindo ele para ali, retirou-se para o quarto e se deitou.
12  Então, disse ao seu moço Geazi: Chama esta sunamita. Chamando-a ele, ela se pôs diante do profeta.
13  Este dissera ao seu moço: Dize-lhe: Eis que tu nos tens tratado com muita abnegação; que se há de fazer por ti? Haverá alguma coisa de que se fale a teu favor ao rei ou ao comandante do exército? Ela respondeu: Habito no meio do meu povo.
14  Então, disse o profeta: Que se há de fazer por ela? Geazi respondeu: Ora, ela não tem filho, e seu marido é velho.
15  Disse Eliseu: Chama-a. Chamando-a ele, ela se pôs à porta.
16  Disse-lhe o profeta: Por este tempo, daqui a um ano, abraçarás um filho. Ela disse: Não, meu senhor, homem de Deus, não mintas à tua serva.
17  Concebeu a mulher e deu à luz um filho, no tempo determinado, quando fez um ano, segundo Eliseu lhe dissera.
18  Tendo crescido o menino, saiu, certo dia, a ter com seu pai, que estava com os segadores.
19  Disse a seu pai: Ai! A minha cabeça! Então, o pai disse ao seu moço: Leva-o a sua mãe.
20  Ele o tomou e o levou a sua mãe, sobre cujos joelhos ficou sentado até ao meio-dia, e morreu.
21  Subiu ela e o deitou sobre a cama do homem de Deus; fechou a porta e saiu.
22  Chamou a seu marido e lhe disse: Manda-me um dos moços e uma das jumentas, para que eu corra ao homem de Deus e volte.
23  Perguntou ele: Por que vais a ele hoje? Não é dia de Festa da Lua Nova nem sábado. Ela disse: Não faz mal.
24  Então, fez ela albardar a jumenta e disse ao moço: Guia e anda, não te detenhas no caminhar, senão quando eu to disser.
25  Partiu ela, pois, e foi ter com o homem de Deus, ao monte Carmelo. Vendo-a de longe o homem de Deus, disse a Geazi, seu moço: Eis aí a sunamita;
26  corre ao seu encontro e dize-lhe: Vai tudo bem contigo, com teu marido, com o menino? Ela respondeu: Tudo bem.
27  Chegando ela, pois, ao homem de Deus, ao monte, abraçou-lhe os pés. Então, se chegou Geazi para arrancá-la; mas o homem de Deus lhe disse: Deixa-a, porque a sua alma está em amargura, e o SENHOR mo encobriu e não mo manifestou.
28  Disse ela: Pedi eu a meu senhor algum filho? Não disse eu: Não me enganes?
29  Disse o profeta a Geazi: Cinge os lombos, toma o meu bordão contigo e vai. Se encontrares alguém, não o saúdes, e, se alguém te saudar, não lhe respondas; põe o meu bordão sobre o rosto do menino.
30  Porém disse a mãe do menino: Tão certo como vive o SENHOR e vive a tua alma, não te deixarei. Então, ele se levantou e a seguiu.
31  Geazi passou adiante deles e pôs o bordão sobre o rosto do menino; porém não houve nele voz nem sinal de vida; então, voltou a encontrar-se com Eliseu, e lhe deu aviso, e disse: O menino não despertou.  2Rs 4:8-31.)

Geazi foi privilegiado exclusivamente como auxiliar profético de Eliseu. De acordo com os registros da Bíblia, bem poucos indivíduos presenciaram ressurreições em primeira mão. Geazi, como assistente de confiança de Eliseu, foi alguém que testemunhou pessoalmente o divino poder da ressurreição. É estranho que ele tenha experimentado a autoridade divina com tal proximidade mas depois tivesse cometido os crimes registrados. O bom senso deveria ter dito a Geazi que o Todo-poderoso Deus que venceu a sepultura era igualmente conhecedor de tudo com relação à sua falsidade. Todavia, devemos reconhecer as qualidades admiráveis de Geazi. Ele parece ter sido sensível com relação às necessidades da mulher, e Eliseu o tratava como um conselheiro de confiança.

Entretanto, mais adiante na narrativa, sua atitude sofreu uma mudança sutil. Sua insensibilidade para com a mesma mulher, agora angustiada pela morte de seu filho, talvez seja o sinal inicial da natureza egocêntrica de Geazi.

Pense nisto: Que qualidades admiráveis Geazi revelou? Como o egoísmo introduziu a insensibilidade?

II. A queda de Geazi

20 Geazi, o moço de Eliseu, homem de Deus, disse consigo: Eis que meu senhor impediu a este siro Naamã que da sua mão se lhe desse alguma coisa do que trazia; porém, tão certo como vive o SENHOR, hei de correr atrás dele e receberei dele alguma coisa.
21  Então, foi Geazi em alcance de Naamã; Naamã, vendo que corria atrás dele, saltou do carro a encontrá-lo e perguntou: Vai tudo bem?
22  Ele respondeu: Tudo vai bem; meu senhor me mandou dizer: Eis que, agora mesmo, vieram a mim dois jovens, dentre os discípulos dos profetas da região montanhosa de Efraim; dá-lhes, pois, um talento de prata e duas vestes festivais.
23  Disse Naamã: Sê servido tomar dois talentos. Instou com ele e amarrou dois talentos de prata em dois sacos e duas vestes festivais; pô-los sobre dois dos seus moços, os quais os levaram adiante dele.
24  Tendo ele chegado ao outeiro, tomou-os das suas mãos e os depositou na casa; e despediu aqueles homens, que se foram.
25  Ele, porém, entrou e se pôs diante de seu senhor. Perguntou-lhe Eliseu: Donde vens, Geazi? Respondeu ele: Teu servo não foi a parte alguma.
26  Porém ele lhe disse: Porventura, não fui contigo em espírito quando aquele homem voltou do seu carro, a encontrar-te? Era isto ocasião para tomares prata e para tomares vestes, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas?
27  Portanto, a lepra de Naamã se pegará a ti e à tua descendência para sempre. Então, saiu de diante dele leproso, branco como a neve. 2Rs 5:20-27.)

Os pensamentos de Geazi podem ser parafraseados: “Esse pagão rico se sentiu compelido, e Eliseu ingenuamente recusou o pagamento. Alguém inteligente como eu não deve permitir que oportunidades de ouro escapem. Ainda há tempo de alcançar Naamã, inventar uma história que explique ‘a mudança no coração de Eliseu’, e conseguir dinheiro”. Seguindo seus instintos perversos, Geazi foi atrás do grupo de Naamã. O coração de Naamã ainda transbordava de gratidão, e sua generosidade duplicou o pedido ganancioso de Geazi. O presente foi grande o bastante para requerer dois servos para transportá-lo. Temendo ser descoberto, Geazi imediatamente escondeu seu ganho conseguido desonestamente. Esconder do Senhor se mostrou inútil. Eliseu expôs o engano, e a punição de Geazi foi imediata. Oh, que em lugar de nossa pele, os nossos pecados sejam brancos como a neve!

Pense nisto: Como a ganância e o ganho financeiro influenciam a igreja e seus membros hoje? Que perigos são inerentes na crença de que as bênçãos e poderes divinos podem ser comprados com dinheiro? (Veja também a história de Simão

12  Quando, porém, deram crédito a Filipe, que os evangelizava a respeito do reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, iam sendo batizados, assim homens como mulheres.
13  O próprio Simão abraçou a fé; e, tendo sido batizado, acompanhava a Filipe de perto, observando extasiado os sinais e grandes milagres praticados.
14  Ouvindo os apóstolos, que estavam em Jerusalém, que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram-lhe Pedro e João;
15  os quais, descendo para lá, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo;
16  porquanto não havia ainda descido sobre nenhum deles, mas somente haviam sido batizados em o nome do Senhor Jesus.
17  Então, lhes impunham as mãos, e recebiam estes o Espírito Santo.
18  Vendo, porém, Simão que, pelo fato de imporem os apóstolos as mãos, era concedido o Espírito Santo, ofereceu-lhes dinheiro,
19  propondo: Concedei-me também a mim este poder, para que aquele sobre quem eu impuser as mãos receba o Espírito Santo.
20  Pedro, porém, lhe respondeu: O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois julgaste adquirir, por meio dele, o dom de Deus.
21  Não tens parte nem sorte neste ministério, porque o teu coração não é reto diante de Deus.
22  Arrepende-te, pois, da tua maldade e roga ao Senhor; talvez te seja perdoado o intento do coração;
23  pois vejo que estás em fel de amargura e laço de iniqüidade.
24  Respondendo, porém, Simão lhes pediu: Rogai vós por mim ao Senhor, para que nada do que dissestes sobrevenha a mim. Atos 8:12-24).

Como a confiança em nossos investimentos financeiros pode enfraquecer nossa necessidade de confiar em Deus? Por que alguns cristãos hoje creem que podem manter suas ações escondidas de Deus?

III. Vivendo de restos

1  Falou Eliseu àquela mulher cujo filho ele restaurara à vida, dizendo: Levanta-te, vai com os de tua casa e mora onde puderes; porque o SENHOR chamou a fome, a qual virá sobre a terra por sete anos.
2  Levantou-se a mulher e fez segundo a palavra do homem de Deus: saiu com os de sua casa e habitou por sete anos na terra dos filisteus.
3  Ao cabo dos sete anos, a mulher voltou da terra dos filisteus e saiu a clamar ao rei pela sua casa e pelas suas terras.
4  Ora, o rei falava a Geazi, moço do homem de Deus, dizendo: Conta-me, peço-te, todas as grandes obras que Eliseu tem feito.
5  Contava ele ao rei como Eliseu restaurara à vida a um morto, quando a mulher cujo filho ele havia restaurado à vida clamou ao rei pela sua casa e pelas suas terras; então, disse Geazi: Ó rei, meu senhor, esta é a mulher, e este, o seu filho, a quem Eliseu restaurou à vida.
6  Interrogou o rei a mulher, e ela lhe contou tudo. Então, o rei lhe deu um oficial, dizendo: Faze restituir-se-lhe tudo quanto era seu e todas as rendas do campo desde o dia em que deixou a terra até agora.2Rs 8:1-6.)

Passaram-se anos desde que Geazi serviu ao profeta Eliseu. Notavelmente, o encontramos conversando com o rei. Aparentemente, Geazi não estava muito desfigurado, ou essa audiência com a corte real provavelmente não teria ocorrido. Sua narração da história foi até o relato da ressurreição envolvendo o filho falecido da mulher sunamita. Esse último encontro com Geazi deixou um sabor ao mesmo tempo doce e amargo. Felizmente, ele se lembrava daquelas experiências transformadoras da vida que moldaram o fundamento religioso de Israel. Lamentavelmente, ele também deve ter lembrado da grande oportunidade que perdeu, tudo pelo aumento questionável das riquezas terrestres.

Pense nisto: Quão valiosa a riqueza terrestre parecerá durante nossos últimos anos de vida se as oportunidades para o serviço fiel escaparem por entre nossos dedos? O que devemos fazer diariamente para nos fortalecermos contra a tentação de trocar princípios eternos por vantagens materiais, ou bênçãos da primogenitura por um ensopado de lentilhas?

Aplicação
Em cada coração são travadas batalhas entre o egoísmo e a consagração espiritual. Sempre que a consagração derrota aquele egoísmo, o resultado natural é o serviço abnegado. Nem a piedade religiosa nem o fervor carismático são substitutos adequados para o serviço cristão.

Atividade: 
Leia os seguintes contos judaicos e comente a ligação entre a espiritualidade e o serviço.
“Em uma pequena cidade judaica na Rússia, há um rabino que desaparece por várias horas a cada sexta-feira de manhã. Seus devotos discípulos se vangloriam de que durante essas horas seu rabino sobe ao Céu e conversa com Deus.

“Um estrangeiro se muda para a cidade, e não acredita em nada disso. Assim, decide verificar as coisas. Ele se esconde e vigia. O rabino se levanta de manhã, faz suas orações, e então se veste em roupas simples. Pega um machado, sai para a floresta e corta um pouco de lenha, que então arrasta para uma cabana nos subúrbios da povoação. Ali vivem uma idosa e seu filho doente. Ele deixa a lenha para eles, suficiente para uma semana, e então, volta para casa discretamente.

“Havendo observado as ações do rabino, o recém-chegado fica na cidade e se torna seu discípulo. Sempre que ouve um dos moradores dizer: ‘Na sexta-feira de manhã nosso rabino sobe todo o caminho para o Céu’, o recém-chegado calmamente acrescenta: ‘Se não for mais alto’” –Perfect Illustrations for Every Topic and Occasion [Ilustrações Perfeitas para Cada Tópico e Ocasião] (Wheaton, Ill: Tyndale House Publishers, 2002), p. 249.

Perguntas para consideração
Por que o recém-chegado não expôs o falso argumento da “jornada celestial”?
O que o atraiu ao discipulado?
O que podemos aprender do sigilo da ação do rabino?
O que os seguidores do rabino estavam tentando comunicar através da ostentação de que seu mestre falava diretamente com Deus?
Como servir aos outros nos coloca em íntima comunhão com nosso Redentor?
Como a figura das roupas simples ilustra a disposição de Cristo para servir? (sugestão: Compare com 

1  Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma comunhão do Espírito, se há entranhados afetos e misericórdias,
2  completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento.
3  Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo.
4  Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros.
5  Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,
6  pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus;
7  antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana,
8  a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.      Fp 2:1-8).

O que Mateus 25:31-46 diz para aqueles que desejam a íntima comunhão com Deus ilustrada na parábola do rabino?

31  Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória;
32  e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas;
33  e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda;
34  então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.
35  Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes;
36  estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me.
37  Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber?
38  E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos?
39  E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar?
40  O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
41  Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.
42  Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
43  sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me.
44  E eles lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso e não te assistimos?
45  Então, lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer.
46  E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna.     Mateus 25:31-46    

Criatividade
Se Geazi poderia ou não ter sido chamado para a missão profética é assunto de especulação. Todavia, houve claramente um chamado ao serviço voluntário. Mesmo esse chamado, à parte do chamado profético específico, oferecia múltiplas oportunidades para intimidade com Deus. Essas oportunidades permanecem abertas para os cristãos hoje que, da mesma forma, têm sido chamados ao serviço espiritual. Talvez não tenhamos testemunhado ressurreições corporais nem experimentado milagres iguais aos de Eliseu; todavia, existe evidência abundante do poder divino no diário nascer do Sol, no sorriso de uma criança, no extenso Universo e nas descobertas através do microscópio e telescópio. Geazi testemunhou prodígios miraculosos, incluindo uma ressurreição corporal, mas trocou a íntima comunhão com Deus por prata e roupas. Quão ridículas essas tentações parecem quando nos lembramos de que o próprio Deus cria a riqueza e veste os campos! Por que nos preocuparmos com tais insignificâncias quando podemos ter comunhão com o Eterno Provedor? Roupas e prata não ofereceram a Geazi nada que a comunhão com Deus não proveria! No entanto, milhões hoje, repetem o pecado de Geazi, trocando um relacionamento dinâmico com Deus e consagração ao serviço pela perseguição egocêntrica de segurança financeira. Segurança confiável, porém, não pode ser encontrada em instituições e investimentos financeiros. Somente Deus provê o porto seguro para pessoas sacudidas de cá para lá nos oceanos da vida.

Atividade 1: 
24  Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.
25  Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?
26  Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?
27  Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?
28  E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam.
29  Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.
30  Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?
31  Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?
32  Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas;
33  buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
34  Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal. Mateus 6:24-34.

Convide os membros a apresentar ilustrações da natureza que reforcem o conceito de um amoroso provedor eterno. Discuta como a comunhão com Deus resolve as preocupações humanas em relação às necessidades diárias.

Atividade 2: 
Usando a provisão divina do maná como outro ponto de discussão, relacione o cuidado diário de Deus por Israel com as lições objetivas da natureza, sugeridas pela classe. Considerando essas coisas juntas, pergunte à classe como podemos aprender a confiar em Deus para nos prover, não importando quão difíceis sejam nossas circunstâncias.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário