quarta-feira, 16 de junho de 2010

Nutrição na Bíblia (resumo)




Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra. E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento. Gênesis 1:26-29
Esboço

I. Deus viu que era bom

A.
Depois da queda e do Dilúvio, Deus fez vários ajustes na alimentação que nos recomendou, embora as frutas, cereais e nozes continuassem sendo componentes superiores da alimentação. Quais são os benefícios desses alimentos, que seguem mais de perto os planos originais de Deus para nossa alimentação? 
B. Quais são os riscos para a saúde de comprometer os planos de Deus para a alimentação?

II. Desfrutando o que é agradável e bom

A
. Existe uma ampla variedade de sabores, texturas e cores disponíveis nos alimentos que Deus projetou para nossa alimentação. Que podemos fazer para educar o apetite a fim de apreciar melhor esses alimentos bonitos e saborosos?
B. O preparo de alimentos de maneira saudável, bem como sua apresentação atrativa, ajuda a melhorar a nutrição e desperta o apetite. Que podemos fazer para enriquecer o prazer e apreciação dos outros quanto à alimentação original de Deus?

III. As escolhas de Deus
Que podemos fazer para nos ajudar e à nossa família a fazer escolhas mais positivas para uma alimentação mais saudável?

Resumo: Frutas, cereais, nozes e verduras, preparados de maneira saudável, e comidos em porções moderadas, podem fazer muito para evitar as doenças e promover saúde e felicidade.

Uma alimentação saudável promove saúde e um sólido relacionamento com Deus.

A alimentação é importante. O capítulo de abertura da narrativa da criação (Gênesis 1) introduz a alimentação ideal da humanidade. Em outro lugar, a Bíblia delineia em detalhes aquilo que Deus considerava alimento e aquilo que não considerava assim. Essa descrição é debatida entre os cristãos. Alguns dizem que, depois da cruz, estamos livres para comer qualquer coisa – isto é, até que sejamos específicos sobre a verdadeira substância em questão. Pergunte se são aceitáveis a cocaína, a maconha, heroína ou metanfetamina. Quase nenhum cristão diria que sim. (Porém, alguns que reivindicam ser cristãos usam maconha e acham que estão protegidos pela liberdade religiosa.) Um argumento frequente é que ninguém deve ser capaz de me dizer o que pôr em meu corpo; mas, de acordo com as Escrituras, de quem é esse corpo? Se pusermos óleo vegetal em um motor fabricado para funcionar com gasolina, podemos esperar consequências indesejadas. Podemos argumentar que o carro é nosso, e podemos abastecê-lo do modo que quisermos. Porém, o fabricante não projetou o motor para funcionar com óleo vegetal; assim, o óleo vegetal não é o combustível apropriado para aquele motor. Existe um manual que declara o que deve ser usado nessa máquina. Deus projetou nosso corpo. Faz sentido abastecê-lo com o melhor tipo daquelas coisas que Deus chama de alimento. O “manual” de Deus, a Bíblia, nos diz quais são essas coisas.

Atividade: Teste o conhecimento da classe! Leve imagens de uma variedade colorida de alimentos, representando a alimentação original de frutas e cereais. Mencione o tipo de nutrição que cada um fornece e por que cada um é saboroso. Leve alimentos de diversas das cores primárias. (Lembre-se: muitas coisas que chamamos de legumes na realidade são frutas [botanicamente]; por exemplo, tomates e pepinos.)

Comentário bíblico


I. A alimentação original
E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento. E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. E assim se fez. Gênesis 1:26-30.)
A alimentação é importante. Pergunte a um treinador. Entre as atividades atléticas, as mais exigentes fisicamente, em sentido cardiovascular, são natação e corrida. Não é surpreendente, então, que os seminários sobre nutrição sejam bastante comuns nas academias de treinamento para corrida e natação. Os treinadores reconhecem que a alimentação é a base para a energia, e a energia é necessária para o bom desempenho. A má alimentação tem impacto negativo sobre o corpo e, deste modo, exerce impacto negativo sobre o desempenho.

Paulo disse que os atletas dão toda essa atenção ao corpo em busca de uma medalha que perde o brilho. Quanta importância os cristãos dão ao que comem? Nossa meta vai muito além do sucesso nas Olimpíadas ou em campeonatos mundiais! Nossa visão está voltada para uma recompensa celestial que nunca mancha nem enfraquece. Significativamente, a alimentação defendida em muitas academias parecem ser tiradas do primeiro capítulo da Bíblia. Se serve para vencer corridas, é possível que essa dieta beneficie um cristão que está travando a batalha mais vigorosa contra a tentação?

Aparentemente, Daniel e seus amigos pensavam assim (Daniel 1). Em vez de sujeitar o corpo aos ricos cardápios oferecidos por seus captores, eles escolheram uma alimentação simples, vegetariana. Lembre-se de quem se sobressaiu! A adesão ao princípio na alimentação forneceu o fundamento para todas as outras realizações significativas. Se nossos heróis bíblicos, bem como atletas excelentes, reconhecem o valor da alimentação original, que estamos esperando?

Pense nisto: A alimentação não é só uma questão do que comemos mas também de como nos alimentamos, quanto comemos, e a condição do que comemos. Noé tomou as frutas da parreira, um artigo da alimentação original, e abusou delas para se embriagar. Salomão escreveu numerosas vezes contra o pecado da glutonaria. Até a maneira de comermos – engolindo a comida em contraste com o comer normalmente – pode fazer a diferença em nossa saúde. Que hábitos alimentares precisamos modificar a fim de obter o máximo benefício de nossa alimentação? Que passos podemos dar para nos assegurar de que a alimentação que comemos é fresca e em boas condições?

II. Alimentação no Novo Testamento

Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus. (1Co 10:31.)

No tempo das viagens missionárias de Paulo, havia uma controvérsia quanto ao consumo de alimentos oferecidos aos ídolos. Alguns acreditavam que o consumo de carne oferecida aos ídolos era uma traição à fé em Deus. Outros argumentavam que, visto que eles não adoravam os ídolos e tinham plena fé no Deus verdadeiro, não estavam honrando as imagens pagãs. Eles simplesmente estavam apreciando os alimentos que, de outra forma, eram aprovados por Deus.

Craig S. Keener no IVP Bible Background Commentary of the New Testament diz: “Toda a carne que restava dos sacrifícios era levada para o açougue na grande ágora em Corinto (não longe de onde Paulo havia trabalhado – Atos 18:3). Nem toda a carne desse mercado havia sido oferecida aos ídolos, mas alguma, sim. Nas cidades comparativamente grandes, frequentemente, os judeus tinham permissão para ter seu próprio mercado a fim de evitar esses alimentos. Em outras cidades, eles perguntavam qual era a origem da carne” (p. 474).

Alguns têm omitido esse contexto histórico nas declarações quanto aos alimentos impuros feitas nas epístolas de Paulo aos Romanos, Coríntios e Timóteo, torcendo-as para dizer que a questão era a lei judaica sobre alimentação. Isso não é verdade. De fato, a distinção entre alimentos puros e impuros surgiu centenas de anos antes da origem da nação judaica (Gn 7:2). A experiência de Pedro em Atos 10 acrescenta mais evidências de que os seguidores mais próximos de Cristo honravam a distinção entre alimentos puros ou impuros muitos anos depois da cruz. Dentro da comunidade médica, existem os que não apoiam a distinção entre alimentos puros ou impuros por razões religiosas mas que, ainda assim, promovem o consumo de carnes limpas por razões de saúde. Um desses médicos escreve: “
Os primeiros cristãos observavam a distinção bíblica entre carnes limpas e impuras pelo menos até 70 d.C. A igreja cristã primitiva entre os gentios observava a lei do Antigo Testamento. ...(Rex Russell, What the Bible Says About Healthy Living, p. 145).

Pense nisto: Que diria você a um cristão se ele afirmasse que agora podemos comer qualquer coisa que quisermos porque estamos vivendo sob a Nova Aliança? Como a preocupação com a consciência de outros cristãos pode influenciar sua escolha dos alimentos? Que benefícios à saúde os cristãos que observam as leis dietéticas do Antigo Testamento têm e que outros não têm?

Alguns cristãos acham que estão vivendo um estilo de vida saudável simplesmente porque deixam de comer carne impura. No entanto, sabemos que a alimentação saudável é mais abrangente. Para discutir como os cristãos podem ter uma vida saudável com alimentação equilibrada, baixe a imagem da pirâmide alimentar a seguir: http://3.bp.blogspot.com/_wySQcD4xwY8/SCmabcQCCiI/AAAAAAAABWs/kYfwefpr-so/s400. Um bom recurso para orientar a discussão seria um dietista registrado. Também existem alguns médicos, enfermeiras e treinadores atléticos que se educaram nessa área e poderiam ser um recurso para orientar esta parte da discussão.

Atividade: Planeje um almoço da classe da próxima vez que vocês se reunirem. Em vez de um almoço “comunitário”, este deve ser planejado cuidadosamente, a partir do conhecimento de uma alimentação saudável. Use a pirâmide alimentar mencionada acima como base para seu plano. Crie uma refeição simples (poucos preparativos complexos), natural (tão próxima quanto possível da alimentação que Deus nos oferece na natureza a fim de se beneficiar dos nutrientes que a industrialização pode destruir), e atraente (misturando várias cores e sabores). Inclua itens da maioria dos grupos alimentares.

Sugerimos que use o tempo para planejar um almoço utilizando meios criativos para promover a alimentação saudável entre colegas e/ou associados seculares que ainda não creem em Cristo. Seja claro sobre o público-alvo. Seu público-alvo são novos cristãos que não aprenderam como se alimentar com um regime saudável? São cristãos há muito tempo que precisam ter a consciência despertada? Ou seu público é constituído de pessoas conscientes a respeito da saúde mas que ainda não abraçaram a fé em Deus?

Atividade: Convide seus alunos a escrever canções ou poemas que promovam uma dieta saudável. Membros mais talentosos podem acrescentar música. O foco pode ser alimentação equilibrada, obesidade, redução da gordura, comer demais, desordens da alimentação ou qualquer coisa relativa à comida.



Um comentário:

  1. Olá! Estamos aqui querendo compartilhar um pouco do nosso ministério... E também conhecendo outros!

    Que Deus te abençoe!

    Abraços!

    www.geracaoresgate.net

    ResponderExcluir