quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Alegria







Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo. -  João 16:33


ESBOÇO

I. A alegria de viver para Cristo



A. A comunhão com Jesus nos fornece imensos recursos para vencer toda dificuldade e circunstância. Como temos acesso a esses recursos em nossa vida? 


B. Como podemos nos regozijar nas circunstâncias difíceis?


C. Como o hábito de nos concentrar em nossos problemas, afastados de Deus, os torna piores?


D. Como podemos levar alegria a Deus? Como permitimos que Ele implante em nós Seu dom da alegria?


II. Praticando uma atitude de louvor


Como a gratidão e o louvor podem nos trazer alegria?


III. Vivendo a alegria


A. Como o louvor agrada a Deus e Lhe traz honra?


B. Como o fato de sermos amados por Deus contribui para nossa alegria?


C. Como a obediência a Deus nos torna alegres?


D. A expressão de louvor e gratidão promove saúde mental e física.


E. Como classe, mencione três coisas que pessoalmente expressam alegria a Deus.


Resumo: A alegria provém de cumprir a vontade de Deus. A obediência nos leva à harmonia com as leis da vida. Gratidão e alegria pela salvação inspiram alegria. A expressão de alegria nas relações sociais e pessoais recomenda nossa fé aos outros e os encoraja, trazendo honra a Deus.


A alegria é a resposta lógica ao amor e cuidado de Deus, como se vê no que Cristo fez e continua a fazer em nós e por nós.

Neste estudo, nos concentramos na alegria como fruto do Espírito. Se confiarmos em Deus e tivermos constante senso de gratidão a Ele, a alegria será um resultado natural.



Quão feliz é você? De acordo com a melhor pesquisa, 50 por cento de sua capacidade para sentimentos positivos pode ser genética. Outros 10 a 15 por cento podem ser atribuídos à condição socioeconômica, situação conjugal, saúde, renda e fatores semelhantes. Os restantes 35 a 40 por cento são resultado de “divergência inexplicada”. Para resumir: a felicidade é algo que acontece – ou deixa de acontecer – a você, talvez mesmo antes de você nascer?


A alegria cristã é completamente diferente. Deus a quer dar a você, tenha ou não “genes da felicidade”. Permita que a alegria do Senhor seja sua “divergência inexplicada” (Veja “happiness”, http://en.wikipedia.org/wiki/Happiness).


Comente com a classe: Pode-se dizer que, em última instância, a maior parte das atividades humanas tem a intenção de trazer “felicidade”. O que está faltando à maioria desses esforços?


Pense nisto: De que forma a alegria cristã é a resposta natural à segurança e estabilidade que vêm do amor incondicional de Deus por nós?


É o desejo de Deus, expresso na Bíblia, de que nos aproximemos da vida cristã com alegria. O que é e o que não é a alegria bíblica. Ser alguém alegre nem sempre significa que a pessoa seja sempre alegre exteriormente, embora a expressão exterior da alegria tenha seu lugar.


Comentário bíblico


As principais palavras do Novo Testamento normalmente traduzidas por “alegria” ou “alegre” são chara e chairo, respectivamente. 


Chara se refere ao estado exterior da alegria, enquanto chairo se refere a um estado tranquilo, interior de alegria. Essas palavras, como nossa palavra alegria, não têm necessariamente um significado espiritual, embora só Deus possa fornecer a constante alegria interior que o cristão tem. 


A principal diferença objetiva entre a alegria cristã e a alegria ou felicidade genérica o motivo do regozijo do cristão. O cristão pode ser sempre alegre, sabendo que aquilo em que se regozija é constante e invariável.


I. Alegria exterior

Sl 98:6  -  com trombetas e ao som de buzinas, exultai perante o SENHOR, que é rei.  


Tg 5:13. -  Está alguém entre vós sofrendo? Faça oração. Está alguém alegre? Cante louvores.


Os povos da Bíblia eram demonstrativos. Quando sentiam alegria por alguma coisa, eles não se envergonhavam em expressá-la. Os autores bíblicos não só não se abstinham disso, mas eles o encorajavam. Às vezes, eles ordenavam assim. Por exemplo, o Salmo 98:4 diz que toda a humanidade e a natureza devem “aclamar, regozijar-se e cantar louvores” ao Senhor. Para evitar qualquer engano possível, o salmista continua a especificar as diferentes variedades de instrumentos musicais estridentes que se pode usar para fazer isso: trombetas, buzinas e liras.


Também é significativo que o salmista convoca a natureza para louvar a Deus fazendo o que faz naturalmente; por exemplo, o rugido do mar. O mesmo deve fazer o cristão. Realmente, não precisamos ser ordenados a nos regozijar. Como podemos fazê-lo?


A Bíblia também indica que é completamente apropriado expressar alegria em circunstâncias positivas. Além das muitas ocasiões na Bíblia em que personagens importantes se regozijaram em tempos de boa sorte, Tiago 5:13 diz que se estivermos alegres, devemos cantar louvores. 


Aqui está um conceito-chave: Seja feliz; regozije-se nas boas circunstâncias, mas lembre-se de onde vêm elas. Lembre-se de que, embora sejam agradáveis, não são a única coisa, nem mesmo a principal. O Deus que as deu a você é que é o principal, e Ele está à disposição nos eventos ruins, bem como nos bons.


Pense nisto: Ambas as passagens que examinamos associam a alegria com uma resposta de adoração, tão-somente por Deus ser Deus ou por causa de coisas particulares que Ele pode ter feito. Toda adoração deve ser marcada por expressões de alegria? Toda alegria deve ser expressa como adoração?


II. Alegria interior

Ec 3:1-4  -  Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu: há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar de alegria 


Jo 16:33  -  Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.


Rm 12:15  -  Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram. 


1Pe 1:6.)  -  Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações


Em psicologia, um sintoma de psicose são as “emoções impróprias” ou a demonstração da emoção errada para determinada situação. Por exemplo, a risada quando se descreve como alguém foi abusado quando criança. A verdade é que existem situações na vida que não podem ser enfrentadas com sorrisos, risada nem música alta. A mesma Bíblia que diz que devemos nos regozijar sempre também diz que existe “tempo de chorar e tempo de rir” (Ec 3:4). Em outras ocasiões, pode ser mais apropriado apreciar calma e quietamente o que temos.


Para o cristão, o que todas essas situações têm em comum é que nossa vida está construída sobre o sólido fundamento da obra terminada de Deus por nós no passado, Sua presença contínua em nossa vida, e o que sabemos que Ele fará por nós no futuro. Então, seja o que for que as circunstâncias atuais exijam de nós, podemos encarar a vida com um senso subjacente de alegria.


Pense nisto: De acordo com a Bíblia, quando é apropriado chorar? 


(Veja Mt 5:4  -  Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.  


Tg 4:8, 9.  -  Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros. Purificai as mãos, pecadores; e vós que sois de ânimo dobre, limpai o coração. Afligi-vos, lamentai e chorai. Converta-se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria, em tristeza.


Embora a alegria como tal não seja o objetivo central da jornada cristã, certamente é inseparável dela. Onde está Cristo, também encontramos a alegria. E essa alegria garante que Deus nos levará seguros através de tudo que este mundo fizer surgir em nosso caminho.


Perguntas para reflexão


1. Como assinala o pai da igreja do quarto século, João Crisóstomo, em nenhuma parte da Bíblia temos evidência de que Jesus haja sorrido. Ainda assim, que evidência bíblica temos de que Jesus era um homem de alegria? Como Ele exibiu Seu prazer em Deus, na vida, e por outras pessoas? (Veja 


Mt 9:14-16  -  Vieram, depois, os discípulos de João e lhe perguntaram: Por que jejuamos nós, e os fariseus [muitas vezes], e teus discípulos não jejuam? Respondeu-lhes Jesus: Podem, acaso, estar tristes os convidados para o casamento, enquanto o noivo está com eles? Dias virão, contudo, em que lhes será tirado o noivo, e nesses dias hão de jejuar. Ninguém põe remendo de pano novo em veste velha; porque o remendo tira parte da veste, e fica maior a rotura.  


Mt. 9:11:18.  -  Pois veio João, que não comia nem bebia, e dizem: Tem demônio!

2. De acordo com a Bíblia, o que faz o cristão ser alegre? (Veja 
Sl 40:8  - agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei.)

3. Como a Bíblia sugere que enfrentemos as dificuldades que, pela lógica humana, poderiam nos levar a perder a alegria ou “felicidade”? (Veja 



Lc 6:22  -  Bem-aventurados sois quando os homens vos odiarem e quando vos expulsarem da sua companhia, vos injuriarem e rejeitarem o vosso nome como indigno, por causa do Filho do Homem.  


Rm 8:28  -   Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. 


Fp 4:4  -  Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. 


Perguntas de aplicação


1. Filipenses 4:4 pode ser considerado um mandamento para nos alegrarmos. Se aceitarmos que a alegria é apenas uma emoção, como podemos ser ordenados a nos alegrar mais do que podemos ser ordenados a sentir outra emoção qualquer? Se não, o que o autor está tentando dizer?

2. Embora não possamos necessariamente determinar-nos a sentir alegria, podemos adotar hábitos e atitudes positivos que tornem mais fácil encarar a vida com alegria. Quais poderiam ser algumas dessas atitudes e hábitos?


3. Como o povo de Israel mostrava sua alegria no Senhor? O que podemos aprender dessas formas de expressão, e como podemos adaptá-las ao nosso contexto cultural?


4. Qual é o papel das Escrituras em nos ajudar a cultivar a alegria cristã?


5. Muitos têm medo de testemunhar a outros, ou julgam ser esta uma experiência desagradável ou intimidadora. Como uma correta compreensão da alegria cristã pode tornar mais fácil e mais confortável partilhar nossa fé com os outros? Como um senso perceptível de alegria pode fazer os outros mais receptivos à nossa mensagem?



O cristão encontra alegria nas coisas que agradam a Deus. Enfatize que, quando buscamos as coisas que agradam a Deus, permitimos a nós mesmos experimentar a sensação mais duradoura e mais verdadeira de felicidade. As atividades seguintes podem ajudar a transmitir isso.


1. Decida passar pelo menos uma noite durante a próxima semana fazendo algo pelos outros. Visite vizinhos solitários; ofereça-se para cozinhar uma sopa ou executar algum outro serviço pela comunidade; envolva-se em alguma atividade cívica, como uma reunião da comunidade. Assista ao culto de oração ou de estudo semanal da Bíblia em sua igreja. Comece seu próprio estudo da Bíblia, sozinho ou com outros.


As possibilidades são infinitas. Compare seus sentimentos depois disso com seus sentimentos depois de se permitir cair na inércia, por exemplo, assistindo à televisão. Como você se sente? Como você pensa que Deus Se sente a seu respeito? Lembre-se disso. Faça isso novamente. Conte para os outros.

2. Decida com amigos executar algum projeto comunitário simples. Por exemplo, distribua volantes ao redor do bairro da igreja pedindo enlatados e comestíveis não perecíveis para ser colocados em sacos plásticos, para os desabrigados, que serão coletados na semana seguinte. Promova uma refeição em comum. Comente como vocês se sentiram.



Extraído de: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/licoes/adultos/2010/frlic312010.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário